Saúde e Centro do Idoso firmam parceria com asilo Vila Vicentina
13 de Abril de 2018
Mutirão oftalmológico atenderá quase 1.500 pacientes em três meses
13 de Abril de 2018

Feira da Preguiça evidencia potencial do artesanato de Barra Mansa

Tecidos coloridos e variados, agulhas, linhas, criatividade e muita dedicação. Esses são os principais instrumentos de trabalho de Maria Dirlene, de 54 anos, que participou da Feira da Preguiça nesta sexta-feira, dia 13, na Praça da Matriz. Artesã há pelo menos sete anos, ela transforma essas matérias-primas em bonecas de pano. O trabalho tem ajudado na complementação da renda familiar, mas também na melhoria da saúde de Dirlene que sofria com dores provocadas pelo reumatismo e artrose.

– O contato com outras pessoas faz uma grande diferença na vida. A gente descobre outras amizades e as novas perspectivas para aprimorar e desenvolver o artesanato chegou através do apoio da prefeitura. Dessa maneira tenho apresentado minha produção em diversos eventos da região. Em alguns consigo comercializar uma média de R$ 200/dia – explicou a artesã.

Yasmim Neves, 24 anos, optou pela produção de doces. Entre as delícias brigadeiros, palha Italiana e rocambole. A jovem concilia a função de operadora de caixa de um estabelecimento comercial do município com os quitutes. “Moro com meus pais e há cinco anos, encontrei na fabricação dos doces uma maneira de contribuir na renda familiar, porém as orientações para apostar nesse empreendedorismo vieram com a participação na Feira da Preguiça”, disse.

Tanto Maria Dirlene quanto Yasmim encontraram na produção artesanal a oportunidade para empreender. Através da Feira da Preguiça, organizada pela prefeitura, por meio da Fundação Cultura, as duas artesãs estão produzindo e mostrando que é possível superar as dificuldades financeiras provocadas pela crise econômica no Brasil.

A feira da Preguiça reúne cerca de 26 artesãs e visa fomentar o empreendedorismo no município, evidenciar as peças produzidas e elevar o potencial de geração de renda. O evento afoi criado em 2003 e integra o Mapa da Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *