FBG promove curso de capacitação
17 de Maio de 2018
Homem morre ao cair de telhado em VR
17 de Maio de 2018

Capacitação sobre Casa Abrigo acontece em VR

DAYSE PENNA - SECRETÁRIA - VR

A Secretaria de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos de Volta Redonda recebeu na manhã desta quinta-feira, dia 17, representantes de oito municípios do Médio Paraíba para uma capacitação sobre a Casa Abrigo Regional de Permanência Breve Deiva Ramphini Rebello. A primeira atividade de qualificação abordou o tema ‘Fluxo de Atendimento e Acompanhamento’ e contou com uma palestra da psicóloga do Centro Especializado de Atendimento a Mulher Chiquinha Gonzaga, (CEAM), Waleria Regina Coutinho Gonzalez.  

De acordo com a secretária de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, Dayse Penna, existe toda uma rede mobilizada para atender a mulher que é vítima de violência e necessita do abrigo.  “Precisamos fortalecer ainda mais essas políticas de atendimento as mulheres da região. O abrigo é regional e atende a mulheres das cidades vizinhas. Nosso objetivo é traçar metas e cumprir, nossa pasta trabalha com um esquema de trabalho de empoderamento dessa mulher, para que ela se restabeleça na vida. E o município de Volta Redonda conta com a Patrulha Maria da Penha que ajuda nesse trabalho de proteção da mulher com medida protetiva”, contou.  

Volta Redonda conta com o Centro Especializado de Assistência à Mulher, (Ceam) que oferece apoio jurídico, psicológico e assistencial às mulheres vítimas de violência.

 O prefeito Samuca Silva, destacou a importância de cada município capacitar e criar políticas públicas resolutivas para o enfrentamento a violência. “O abrigo é a última alternativa para que essa mulher sobreviva, após ter seus direitos violados. Nós como gestores temos que criar alternativas para o enfrentamento a violência. O abrigo regional é uma rede que necessita da colaboração de todos os municípios envolvidos para fortalecer essas políticas públicas para as mulheres”, disse.  

Segundo Mariana Pimenta, assistente social, a palestra foi esclarecedora para compreender a extrema importância do abrigo.  “Conseguimos compreender que precisamos trabalhar no fortalecimento e atendimento a mulher vítima de violência. Esse trabalho deve ser acompanhado por toda a rede de assistência, junto aos outros órgãos responsáveis. Estamos felizes pela conquista para nossa região, pois sabemos da relevância do trabalho”, contou.  

A ‘Casa Abrigo de Permanência Breve’, é o local onde ficam provisoriamente mulheres que correm o risco de serem assassinadas por seus maridos, namorados ou companheiros. Atualmente espaço conta com 12 vagas para mulheres e seus filhos. As vítimas poderão ficar no local por um período de até 15 dias e contarão com assistência jurídica e psicossocial. Para a psicóloga Waleria Regina Coutinho Gonzalez, existe todo um processo para que essa medida seja tomada.  

“A mulher que fica no abrigo fica isolada do mundo. Sem acesso a nada, por isso é importante esse contato. Muitas estão com filhos que também são vítimas de violência, estão traumatizados. Nós temos que ajudar para que essa mulher volte a ter uma vida saudável”, disse.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *