SMIDH lança projeto de defesa pessoal para mulheres em Volta Redonda
5 de dezembro de 2018
Novo semáforo na Avenida Beira-Rio dará mais fluidez ao trânsito
5 de dezembro de 2018

Profissionais da saúde participam de evento pelo Dezembro Vermelho

Ação lembra o Dia Mundial de Combate à Aids, comemorado em 1º de dezembro; prevenção, diagnóstico e tratamento foram temas abordados

Cerca de 300 profissionais da Rede Municipal de Saúde participaram nesta quarta-feira, dia 05, de evento pelo Dezembro Vermelho, mês de conscientização e combate à Aids. Médicos, dentistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem, divididos em dois grupos, manhã e tarde, assistiram as palestras que trataram da prevenção, diagnóstico e tratamento, no Auditório da UFF (Universidade Federal Fluminense), campus Aterrado.

A coordenadora do programa IST/Aids, do Centro de Doenças Infecciosas (CDI), da secretaria de Saúde de Volta Redonda, Sandra Regina Coutinho, abriu o encontro informando aos profissionais o fluxo de atendimento à população em geral e ao profissional da saúde, em caso de acidente com material biológico.

“A indicação é procurar a unidade de saúde mais próxima para realização do teste. E, em casos reagentes, procurar o CDI (Centro de Doenças Infecciosas) para acompanhamento e tratamento. A parte ambulatorial é feita no CDI, que fica na Rua Dionéia Faria, no Aterrado”, explicou Sandra.

Ela explicou ainda que os números registrados em Volta Redonda seguem a tendência mundial. A maioria dos casos novos é registrada entre os homens e na população jovem, entre os 20 e 34 anos. “Neste ano, por exemplo, até 26 de novembro, o CDI registrou 137 novos casos, 113 na população masculina e 24 na feminina”, ilustrou Sandra.

O evento contou ainda com apresentação do médico infectologista Gustavo Magalhães, da Câmara Técnica do Programa IST/AIDS/RJ (Infecções Sexualmente Transmissíveis/Aids do Rio de Janeiro), que também faz parte do CDI em Volta Redonda, que falou sobre diagnóstico e tratamento. Além dele, participou a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da SMS, Milene Paula de Souza, que mostrou aos profissionais um panorama da síndrome em Volta Redonda.

O dentista Carlos de Souza, que atua no Cais Aterrado e em Clínicas Odontológicas Concentradas, afirmou que a explanação é importante para os profissionais da saúde por dois motivos principais. “Estamos expostos a acidentes com material biológico e precisamos saber como proceder e também temos que conhecer o fluxo para orientar os pacientes”, disse.

O secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, ressaltou que um dos principais objetivos do encontro é reafirmar a importância da prevenção e do diagnóstico precoce.

“Precisamos criar no profissional da saúde o olhar para a sensibilização dos pacientes para importância de se proteger, a principal forma de transmissão do HIV ainda é pela relação sexual sem camisinha. Além de realizar o teste para o diagnóstico precoce, pois é primordial iniciar o tratamento antes que doenças oportunistas se instalem”, afirmou Alfredo.

Para o prefeito do município, Samuca Silva, a atualização periódica dos profissionais da área de saúde reverte em atendimento mais eficaz à população. “São eles que estão na ponta, em contato direto com os pacientes e devem apresentar os serviços oferecidos pela rede e identificar as necessidades de cada um, encaminhando para o melhor tratamento”, acredita o prefeito.

Ainda participaram do evento o presidente do Cerest (Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador do Médio Paraíba I), Marcelo Cavaliere; e responsável pela Divisão de Políticas de Promoção da Diversidade de Gênero da secretaria municipal de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, Caio Oliveira.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *