MPF/RJ: Justiça Federal determina implantação de ponto eletrônico nos hospitais federais do Rio
7 de janeiro de 2019
Escola das Artes abre inscrições para cursos de música e teatro
7 de janeiro de 2019

Apenados revitalizam 37° BPM através de um convênio com a prefeitura

Dois internos participam da iniciativa, que prevê a pintura interna e externa da unidade

Mais um prédio público está sendo recuperado município, através do convênio da Prefeitura de Resende com a Fundação Santa Cabrini. Desta vez, o 37º Batalhão da Polícia Militar está sendo beneficiado por uma revitalização, que irá contemplar a pintura completa do local, interna e externa. De acordo com a coordenação do projeto de ressocialização, dois apenados atuam no local, trabalhando dentro sob a Lei de Execuções Penais (Lei 7.210/84), que prevê a redução da pena em um dia, a cada três trabalhados.

O prefeito Diogo Balieiro Diniz destaca que esta é a segunda vez que o projeto acontece em parceria com a Polícia Militar, sendo que na primeira ocasião, os internos fizeram parte da revitalização do Posto de Polícia, localizado no bairro Vicentina, que estava com a estrutura comprometida, que incluem infiltrações nas paredes e a iluminação deficiente. Agora, os policiais voltaram a atuar no local, devolvendo segurança e conforto a população do local.

No caso da sede da PM em Resende, dois apenados estão atuando no local, que está recebendo pintura interna e externa, devendo durar até a próxima semana. A rotina dos internos começa às 7h da manhã quando eles são levados até o 37º Batalhão, e termina às 18h, quando retornam à Casa de Custódia, em Bulhões. De acordo com a lei, além de reduzirem o tempo de detenção, os presos são remunerados de acordo com os dias trabalhados em até um terço do salário mínimo.

– Essas pessoas precisam de oportunidades para enxergar a vida além do crime e é exatamente isso que este projeto propõe, partindo da premissa de que o trabalho é a maior ferramenta que dispomos para reintegrar os internos à sociedade, resgatando a autoestima e dignidade – disse o prefeito.

A escolha dos internos que integram o projeto, atuando nas obras em andamento, foi feita de acordo com o histórico de cada detento. Os que possuem experiência na área, como mecânicos, eletricistas e pedreiros, foram selecionados por já serem capacitados para exercer tais tarefas e com isso, podem ensinar a profissão aos demais detentos, que ao terminar de cumprir a pena, saem com experiência na área.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *