Cãozinho morre depois de ser ferido no bairro Cambota, em Valença
14 de março de 2019
PMVR participa de audiência pública sobre Pátio de Escória
14 de março de 2019

Parceria com empresas vai dar autonomia a mulheres vítimas de violência

Projeto ‘Siga em Frente’, da Secretaria de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, foi lançado na tarde desta quinta-feira, dia 14, na Aciap-VR

Convidar as empresas de Volta Redonda a se comprometerem a inserir no mercado de trabalho mulheres vítimas de violência, promovendo capacitação e autonomia financeira. Esse é o objetivo do projeto “Siga em Frente”, lançado na tarde desta quinta-feira, dia 14, pela Secretaria de Políticas para Mulher, Idosos e Direitos Humanos (Smidh) de Volta Redonda, na sede da Aciap-VR (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril de Volta Redonda).

De acordo com a secretária da pasta, Dayse Penna, as mulheres em situação de violência necessitam de ajuda para superar as barreiras sociais, culturais, econômicas e políticas que as impedem de procurar ajuda. “E a inserção no mercado de trabalho é uma ação prática para nortear, empoderar e fortalecer as mulheres para o enfrentamento das situações de violência, auxiliando a alcançar a independência financeira”, acredita.

Ela acrescentou que a equipe da Smidh vai acompanhar essa mulher empregada durante um ano para verificar se tem dificuldades ou não no trabalho e ainda garantir suporte psicológico e emocional. “É uma situação nova, até então, preparávamos essa mulher para empreender, trabalhar por conta própria como autônoma. Agora, queremos colocá-la no mercado de trabalho”, explicou Dayse.

O vice-prefeito Maycon Abrantes elogiou a ideia e acredita que o trabalho, mais até que o salário, garante aumento da autoestima feminina. “Porém, defendo a valorização da dona de casa, que trabalha diariamente dispensando cuidado e atenção à família”, falou, lembrando que está nesse grupo o maior número de mulheres agredidas.

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, apoiou a iniciativa e lembrou que o município, mais uma vez, sai na frente no cuidado com as mulheres. “É preciso garantir assistência completa às vítimas de violência dando condições para que mudem de vida. E a inserção no mercado de trabalho é mais uma ação dessa rede de atendimento”, afirmou o prefeito, lembrando que Volta Redonda conta com o CEAM (Centro Especializado de Atendimento à Mulher); a Central de Atendimento a Mulher pelo número 180; e a DEAM (Delegacia Especial de Atendimento à Mulher).

Aliás, a Polícia Civil também esteve representada no evento. A delegada Mônica Areal, que era titular da Deam em Volta Redonda e hoje está em Nova Iguaçu, é uma das idealizadoras do projeto “Siga em Frente”. “Durante o período que estive em Volta Redonda, a delegacia efetuou 60 prisões de agressores em dez meses, mas senti a necessidade de criar uma maneira de evitar que essa mulher volte a essa condição”, falou.

Além dela, também estavam no evento a diretora da Deams do Estado de Rio de Janeiro, Juliana Emerick, que aproveitou para apresentar a nova delegada da Deam de Volta Redonda, Laísa Batista Lara. “Me comprometo a atuar ao lado da Smidh e pelas mulheres do município”, disse.

O secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Joselito Magalhães, afirmou “O nosso papel hoje aqui é contagiar outras empresas a também aderirem a esse projeto. Fico feliz de ver tanta gente importante e de peso envolvida numa iniciativa tão bonita e tão importante para a nossa cidade”, frisou Joselito.

A CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) foi a primeira empresa a se interessar pelo projeto e se comprometer a participar do “Siga em Frente”. Durante o evento, o coordenador de Recursos Humanos da empresa, Rafael Paiva, afirmou que o projeto vai de encontro à política da empresa de aumentar o número de mulheres atuando na indústria. “E a CSN tem condições de capacitar essa mulher que sofreu violência inseri-la no mercado de trabalho com diversos benefícios como a creche para os filhos pequenos”, disse.

Anielli França e Isabella Di San representavam uma escola de idiomas que funciona na Rua 33, na Vila Santa Cecília. “Viemos conhecer melhor o projeto, mas a empresa tem intenção de participar, por entender que é importante cuidar da sociedade onde se atua”, falou Anielli. Também estavam representados o Shopping Park Sul, o grupo Royal de Supermercados, além de outras empresas.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *