PRF apreende caminhão com mercadoria sem nota fiscal em Volta Redonda
13 de maio de 2019
Secretaria de Ordem Pública interdita Casa Noturna no bairro Vila Nova
13 de maio de 2019

Volta Redonda inicia Semana da Luta Antimanicomial

Programação conta com atividades educativas em vários pontos da cidade

Começou na manhã desta segunda-feira, dia 13, uma série de atividades programadas para a Semana da Luta Antimanicomial Volta Redonda 2019. O evento é realizado pela secretaria municipal de Saúde (SMS), com apoio do Capta (Centro Acadêmico de Psicologia Tatiana Ramminger) e do Observatório de Direitos Humanos do Sul Fluminense. De acordo com a coordenadora da área de Saúde Mental da SMS, Renata Vasquez, o objetivo é sensibilizar e conscientizar a sociedade para o cuidado em saúde mental.

“Buscamos trabalhar um conteúdo educativo e reflexivo com estudantes, usuários de nossas unidades, cidadãos, profissionais de várias áreas. Queremos reforçar junto à população a importância da Semana da Luta Antimanicomial e dar mais visibilidade as ações que já são realizadas no município”, explicou Renata.

A primeira ação teve início na Praça Rotary, na Vila Santa Cecília, de onde foi iniciado o jogo Loucururbanas, organizado pelo Grupo de Pesquisa de Desutilidades Urbanas, da Uff (Universidade Federal Fluminense). Equipes formadas por moradores, historiadores, alunos de diversos cursos da Uff, além de usuários e profissionais da rede pública de Saúde, percorreram a cidade, realizando tarefas.

“A ideia é começar a semana trazendo o sentido da antimanicomialidade. A sociedade contra e sem os manicômios, que ultrapassa a dimensão dos serviços. É preciso trabalhar no contexto dos territórios, da cultura, da sociabilidade, dos sentidos. O jogo permite criar estratégias coletivas de estar na cidade e repensar o sentido de loucura, de saúde, de cuidado, de limites da cidade, as lógicas manicomiais que estão no nosso cotidiano”, explicou a professora de Psicologia da Uff, Ana Cabral.

Pedro Rami Francisco Filho, que é do Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial no Tratamento de Usuários de Crack, Álcool e outras Drogas), elogiou a programação.

“O evento está sendo bacana e acho que, a partir daí, dá pra conseguir evitar que acabem com os caps, que não voltem com os manicômios. E a partir desse começo, desses encontros, vamos conseguir e isso anima pra gente não desistir”, comentou Pedro.

O secretário municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, explicou que Volta Redonda conta com uma rede de atendimento, incluindo quatro residências terapêuticas que garantem assistência integral a pessoas com transtornos mentais egressos de instituições de internação de longa permanência.

“São lugares que possuem o foco de resgatar o convívio social, permitindo a construção de autonomia para quem faz uso desses espaços. Além disso, através dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPSs), conseguimos trabalhar a reabilitação psicossocial e a reaproximação com a família”, explicou Alfredo.

Além das Residências Terapêuticas, Volta Redonda conta com três CAPS Adultos (Vila Esperança, Usina de Sonhos e Sérgio Sibilio Fritsch, no Jardim Belvedere), um CAPS para crianças e adolescentes (Viva Vida, na Vila Mury), e um CAPS para usuários de álcool e outras drogas (CAPS AD).

O Programa de Saúde Mental ainda dispõe do Espaço de Cuidado, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30, no Estádio Raulino de Oliveira. O Espaço de Cuidado é um ambulatório de Saúde Mental adulto, que atende usuários em sofrimento – com depressão, tendência suicida, etc.

Para o prefeito Samuca Silva, envolver a sociedade nesse debate é fundamental para que o poder público possa direcionar melhor seus esforços no cuidado de quem recebe tratamento da área de Saúde Mental.

“Eventos como a Semana da Luta Antimanicomial servem para alertar e convidar a população a participar ativamente. Nossa estrutura é fundamental nesse cuidado e contamos com os cidadãos para melhorar cada vez mais os serviços para quem precisa”, ressaltou o prefeito.

Confira a programação da Semana da Luta Antimanicomial:

14/05 – Terça-feira

– 9h às 10h15 – 1º Momento:

Roda de Conversa – O Jogo Antimanicomial em AnáliseFacilitadores: Alexandre Barbara, Caio Junior e Estagiários da Rede de Assistência Social

– 10h30 às 13h – 2º Momento:

Apresentação da Rede de Atenção à Saúde e Roda de Vivências

Facilitadores: Ricardo Pena, Daniele de Paula, João Fernando CAPSi, Edna Candido CAPS Vila Esperança e Estagiários e Usuários da Rede Saúde

Local: UFF Aterrado – Auditóriodo 3º Andar Bloco B

– 14h às 18h:

Aula Aberta: Luta Antimanicomial, Direitos Humanos e a Contra-Reforma Psiquiátrica

Facilitadores: Rafael Dias, Flávia Freire e Grupo de Pesquisa Genealogia da Lei 10.216

Convidados: Racquel Gouveia (UFRJ),Mônica Lugão (CAPS i), Milton Freire (Militante – RJ), Maicon Ávila  e membros da  AUFASSAM

Local: UFF Aterrado – Auditório do 3º Andar Bloco B

15/05 – Quarta-feira

– 12 h – Sarau Cultural dos Usuários

Local: Caps Belvedere

16/05 – Quinta-feira

– 9h às 11h – Oficina de Escutação de Histórias sobre o Trabalho

Facilitadora: Elisa Borges e Estagiários

– 11h às 12h – Prática de Yoga – Exercícios de Respira

Facilitadora: Roseli de Oliveira

12h – Almoço Coletivo

Local: CAPS Belvedere

17/05 – Sexta-feira

– 8h30 – Shows de Talentos da Rede de Atenção Psicossocial do Médio Paraíba

Local: Clube Municipal Barra Manda

18/05 – Sábado

– 9h – Café da manhã com roda de conversa com familiares

Local: CAPS Vila Esperança

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *