Jovem é assassinado no bairro Areal
18 de maio de 2019
Rio Barra Mansa transborda e carrega carro no bairro Nova Esperança
19 de maio de 2019

Igreja Santa Cecília recebe ‘Musica nas Igrejas’ do projeto VR Cidade da Música

‘Orquestra de Cordas de Volta Redonda está entre as melhores do mundo’, diz bispos católicos D. Luiz Henrique e João Messi

A Orquestra de Cordas de Volta Redonda, 1 e 2, com cerca de 160 músicos, sob a regência da maestrina Sarah Higino, se apresentou na noite desta sexta-feira, 17, na Igreja Santa Cecília, Rua 31, número 50, na Vila Santa Cecília, centro, com 1h30min de duração. O público compareceu e aplaudiu demoradamente as apresentações, contando com as presenças do maestro Nicolau Martins, idealizador do projeto, e dos bispos Dom Luiz Henrique da Silva Brito, e Dom João Maria Messi, bispo emérito, além do pároco Vanderlei Alves de Oliveira.

O novo bispo da Cúria Diocesana Barra do Pirai e Volta Redonda, Dom Luiz Henrique, afirmou que o projeto Volta Redonda Cidade da Música, gerou orquestras que estão no mesmo nível das capitais da Europa:

“O projeto é maravilhoso. Eu me sinto privilegiado porque eu assisti concertos em Londres, Paris, Viena e digo que a qualidade da música não perde em nada para essas orquestras, é musica de qualidade. Os pais e todos que estão envolvidos no projeto estão de parabéns e devem ficar orgulhosos. As autoridades constituídas devem continuar investindo e fico surpreso em saber que são 4.600 estudantes participando.  Estão resgatando os jovens que tem um talento especial para a música. E tem o nosso apoio para brilhar aqui em Volta Redonda, no Brasil e no mundo”, disse Dom Henrique.

O prefeito Samuca Silva, garante todo o apoio ao projeto Volta Redonda Cidade da Música, que tem a sua sede na Vila Mury:  “São estudantes de escolas públicas do município que têm a oportunidade de aprender música de qualidade, de ter uma educação musical que fará a diferença para um futuro melhor dessas crianças e jovens. A comparação com orquestras das capitais da Europa mostra que estamos investindo certo, dando oportunidades a mais de 4 mil jovens que serão pessoas melhores, tendo a música como uma bela profissão”.

O bispo emérito João Messi acrescentou que se lembrou dos Meninos Cantores de Roma, Itália, muito conhecidos na Europa:

“Vocês não são menos cantores do que aqueles. Peço a padroeira da paróquia Santa Cecília que abençoe a todos vocês e a comunidade pela beleza e alto nível da apresentação de louvor a glória de Deus. O canto é bonito para trazer alegria”, afirmou. As falas dos bispos aconteceram no final da apresentação das Orquestras de Cordas, sendo que a Orquestra II abriu a noite sob a direção da regente Verônica Egídio, formada por jovens estudantes que estão na iniciação musical. A Orquestra de Cordas I é formada por professores, monitores, estudantes com aprendizado mais avançados.

A Orquestra principal teve como solistas, Reneide Gonçalves Simões( viola) e Daniel Diniza Magalhães( contrabaixo).  O projeto Música nas Igrejas abriu a temporada na Paróquia Santa Cecília, mostrou composições de Beethoven,  Samuel Barber, Anton Arensky,  K. D. Dittersdorf, Mendelssohn, Ernst Mahle, Adre Couch, com participação especial das flautas e trompas da Banda de Concerto. A maestrina Sarah Higino homenageou os 90 anos em vida do compositor alemão, naturalizado brasileiro, Ernst Hahle, que ajudou a formar músicos e orquestras em São Paulo.

A abertura da programação foi feita pela diretora do Conservatório Musical Santa Cecilia, professora Iara Silva de Rezende. O professor Nicolau Martins disse que o programa ‘Música nas Igrejas’ iniciou na administração do ex prefeito Wanildo de Carvalho(1989-1992), em 11 igrejas: “A intenção era expandir a ideia de levar a música para as comunidades, começando pelas igrejas São Sebastião, e da 249, para o povo louvar e agradecer a Deus, incluindo a participação e vozes do público”.

A maestrina Sarah Higino afirmou que o objetivo é formar plateias através da música de qualidade. Ela agradeceu os pais que incentivam os filhos no projeto Volta Redonda Cidade da Música. O músico solista Daniel Magalhães, 29 anos, graduado em contrabaixo pela UNIRIO, comentou:”As igrejas têm uma excelente acústica para receber a música com qualidade. Professores e alunos crescem junto com o projeto nessas apresentações”.

O estudante de violino, Frederico Siqueira, 17, falou da apresentação: “É uma grande oportunidade que estou tendo e que eu gostaria que outros jovens também aproveitassem este momento. A música é uma grande fonte educativa para o futuro e torna as pessoas melhores”, comparou.

O público elogiou o espetáculo: “Está valorizando um trabalho de base que é feito com os jovens da nossa cidade. Fico feliz de ver essas crianças participando, que sairão músicos formados e pessoas conscientes”, alegou o representante comercial Célio Pereira, 57 anos. A mãe de uma estudante,  Tatiana de Souza,  informou que a  filha Rikelly Souza, 11 anos, que toca violino, há 4 anos no projeto Volta Redonda Cidade da Música, não perde um ensaio para fazer bonito nas apresentações.”Ela é toda empolgação e tem boas notas na escola”. Outras igrejas católicas e evangélicas farão parte da programação Música nas Igrejas.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *