Escola de Governo e Gestão ganha sede própria em Volta Redonda
18 de julho de 2019
Samuca Silva entrega sede da Escola de Governo e Gestão
18 de julho de 2019

CCZ segue com etapa da zona urbana da campanha de vacinação antirrábica

Serão atendidos os seguintes bairros: Jardim Alegria, Jardim Beira-Rio, Casa da Lua, Boa Vista I, Boa Vista II, Mirante das Agulhas, Nova Alegria, Parque Ipiranga I e Ipiranga II

A Campanha de Vacinação Antirrábica Animal 2019 continua na zona urbana do município de Resende, neste sábado, dia 20. A Prefeitura, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), dará prosseguimento à segunda etapa da zona urbana entre 9h e 16h, contemplando nove bairros da cidade. Dos 45 postos de vacinação previstos em todo o município, o CCZ definiu o cronograma das localidades para serem atendidas nas duas primeiras etapas, nas áreas rural e urbana.

Neste sábado, a campanha acontecerá nos seguintes locais: tenda em frente à Unidade de Saúde da Família (USF) Jardim Alegria e Jardim Beira-Rio, situada na Rua F, no Jardim Alegria, que beneficiará os dois bairros; posto volante na entrada do Boa Vista I (em frente a uma churrascaria), abrangendo ainda a Casa da Lua e o Boa Vista II; Mirante das Agulhas, tenda próxima ao lago; USF Nova Alegria, na Rua Dois; e posto montado nas imediações da ASPR (Associação dos Servidores Públicos de Resende), na Rua José Geraldo Coutinho, no Parque Ipiranga I, atendimento que também se estenderá ao Ipiranga II.

O coordenador do CCZ, Rodrigo Campos Teixeira, orientou sobre as restrições para o período de imunização.

— A campanha é direcionada para cães e gatos com mais de quatro meses de idade. Todos os animais devem ser levados aos postos de vacinação, inclusive, aqueles que receberam a dose no ano passado, uma vez que a vacina é válida por um ano. O condutor do animal deve ser maior de 18 anos de idade e estar munido com o documento de identidade. Vale lembrar que não estão aptos para a imunização: as fêmeas prenhas ou que estejam amamentando; e os animais que apresentem alguma enfermidade ou em tratamento com medicamentos anti-inflamatórios ou antibióticos – reforçou.

Rodrigo Campos Teixeira lembrou que vacinação contra a raiva é uma questão de saúde pública de extrema relevância. “A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite com letalidade de aproximadamente 100%”, explicou.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *