PRF prende motorista bêbado na Dutra, em Resende
18 de julho de 2019
Homem é assassinado no bairro Jardim Belmonte
19 de julho de 2019

Volta Redonda avança na inclusão de pessoas com deficiência

Secretaria de saúde adquire balança para pesagem de paciente deficiente

Volta Redonda está se tornando a cada ano uma cidade mais inclusiva.  Hoje, cidadãos que possuem alguma deficiência têm voz ativa, seus direitos são mais respeitados e o atendimento às suas necessidades é uma preocupação presente em todas as políticas públicas do município. Na saúde, por exemplo, eles acabam de ganhar uma balança eletrônica para pesar a massa corporal dos pacientes que necessitam do uso de cadeira de rodas, de forma mais prática e segura.

“Nosso objetivo é valorizar as pessoas com deficiência como cidadãos plenos. Estamos construindo políticas publicas que tornem a nossa cidade mais humana. A compra desse equipamento faz parte das ações que abrangem desde medidas aparentemente pequenas, mas fundamentais como rampas de acessibilidade nos espaços públicos como escolas, unidades de saúde e ruas. Era um compromisso de campanha que estou cumprindo”, disse Samuca Silva.

O secretario municipal de Saúde, Alfredo Peixoto, explica que a balança é especifica para pesar o deficiente físico. “Essa balança garante a inclusão em todos seus aspectos semiológicos. Hoje sabemos que no processo de avaliação de um paciente é muito importante saber o peso dele para calcular o IMC, se está com obesidade. Antes da aquisição desse equipamento não existia essa possibilidade de pesar um cadeirante na rede municipal”, disse o secretário.

Segundo a coordenadora da Divisão de Média Complexidade da secretaria de Saúde de Volta Redonda, Flavia Lipke, a nova balança, ideal para ser usada em hospitais, clínicas e consultórios, está instalada no terceiro andar da Policlínica Bernardino de Souza, no Acesso Branco do Estádio Raulino de Oliveira, no bairro Nossa Senhora das Graças. “A nova balança irá beneficiar cerca de 20 pacientes, por dia. É um avanço muito grande na qualidade do atendimento desses pacientes que agora poderão ter um tratamento mais adequado, principalmente para as especialidades de nutrição, endocrinologia e ortopedia”, disse a coordenadora.

A endocrinologista Mayra Miranda Corrêa Dias destaca a importância do novo equipamento. “A pesagem é importantíssima para o tratamento dos cadeirantes. Informar precisamente o peso do paciente é fundamental para o tratamento. Nos pacientes diabéticos é preciso saber o peso para detectar a quantidade exata de insulina, evitando assim a hipoglicemia”, disse a médica.

O locutor José Carlos de Oliveira, 49 anos, morador do bairro Belmonte conta que a compra desse equipamento significa o resgate da cidadania dos deficientes físicos de Volta Redonda. “Antes os cadeirantes precisavam se pesar em locais onde são feitos reciclagem de lixo. Nesses locais existem balanças que pesam o carro antes e depois de carregar, aferindo assim o peso do material reciclado. Era assim que conseguíamos saber o nosso peso, disse José Carlos.

Ele lembra que a compra desse equipamento era uma um compromisso de campanha do prefeito Samuca Silva. “Agradeço ao prefeito Samuca por ter cumprido mais esse compromisso de campanha. Esse equipamento nos dará mais comodidade. É a valorização dos deficientes do nosso município. Nós somos a primeira cidade a ter uma balança para o cadeirante se pesar. Tenho muito orgulho disso”.

O mecânico e cadeirante Wanderley Pereira Corrêa, 52 anos, morador do bairro Caieira parabenizou a iniciativa da prefeitura. “Eu sou amputado e tenho facilidade de me locomover, mas tem muito cadeirante que não tem essa facilidade de descer da cadeira. É uma ótima iniciativa. Estou me sentindo valorizado”, disse o mecânico.

DEPARTAMENTO DE DIREITOS HUMANOS – Em Volta Redonda a inclusão é levada tão a sério que foi criada uma secretaria, a de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (SMIDH), que possui um departamento específico para cuidar dos interesses das pessoas com deficiência: o Departamento de Direitos Humanos que tem em sua composição uma divisão voltada somente para discutir e implementar políticas publicas voltadas para esse público. Lá são desenvolvidos projetos, eventos e ações preventivas ao enfrentamento da violência, à promoção da inclusão e da acessibilidade nos espaços públicos e privados, bem como o respeito pela diversidade e de etnia com os cidadãos voltarredondenses, através do compromisso social de promoção da harmonia e a garantia dos direitos de ser e viver.

A Secretária de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (SMIDH), Dayse Penna reforça sobre a importância da inclusão e da acessibilidade nos órgãos públicos com a oferta de um ambiente mais humanizado. “Esse equipamento irá suprir a demanda de pesagem das pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, facilitando na demanda dos procedimentos nos serviços prestados pela saúde, e possibilitando uma melhora na qualidade de vida”, disse a secretária.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *