Polícia Militar prende jovem que participou de roubo de carro no bairro Monet
5 de março de 2020
Idoso é suspeito de ter abusado de criança de 8 anos em Rio Claro
Bandidos roubam carro de mulher na Saturnino Braga
5 de março de 2020

Coordenadora do projeto ‘VR Cidade da Música’ vai reger orquestra no Uruguai

Evento será em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

Em celebração ao Dia Internacional da Mulher, comemorado neste domingo, dia 8, a pianista e maestrina Sarah Higino irá reger a Orquestra Filarmônica de Montevidéu. O concerto acontecerá nesta quinta-feira, dia 5, em um dos principais teatros do Uruguai, o Teatro Solis, em Montevidéu. Sarah Higino é uma das coordenadoras do projeto ‘Volta Redonda Cidade da Música’. Os ingressos para o evento já estão esgotados.

A apresentação da Orquestra Sinfônica de Montevidéu, liderada pelo público feminino, é resultado de evento que vem sendo debatido por músicos de diversos locais do mundo, desde 2018, durante simpósio no Uruguai. Na oportunidade, as compositoras questionaram os motivos das orquestras do mundo ter poucas mulheres como regentes.

“Na ocasião, nos questionamos o motivo de as mulheres não estarem ocupando um lugar de destaque no pódio de uma orquestra”, explicou a maestrina Sarah Higino, acrescentando que o tema ganhou destaque entre compositores do mundo, resultando nesta apresentação. Segundo a maestrina, Volta Redonda ganhou destaque no Simpósio quando ela apresentou um vídeo mostrando as realizações do ‘Volta Redonda Cidade da Música’.

O projeto recebe anualmente, 4,5 mil alunos de escolas da rede municipal. Nas aulas de música, os alunos têm a oportunidade de conhecer os inúmeros instrumentos que compõem uma orquestra.

Segundo o professor Nicolau Martins, assim como a pianista Sarah Higino, o projeto é responsável pela formação de músicos de sucesso que atuam em diversas localidades do mundo. “Temos ex-alunos em bandas, orquestras, lecionando, enfim, temos a honra de afirmar que nosso projeto foi o despertar de muitos jovens para a música”, concluiu professor Nicolau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *