Carlinhos Santana libera emendas impositivas para aplicar no combate ao Coronavírus
26 de março de 2020
Idosos comparecem para vacinação H1N1 no sistema drive thru
27 de março de 2020

Sindicato alerta empresas sobre preservação dos direitos e da saúde dos trabalhadores

Coronavírus: sindicato da construção civil alerta empresas sobre preservação dos direitos e da saúde da categoria

O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de Volta Redonda e região, atento à situação emergencial do Covid 19 (novo Coronavírus), faz um alerta às empresas sobre a preservação dos direitos e da saúde da categoria, uma vez que boa parte ainda não dispensou seus funcionários. Segundo o presidente da entidade, Sebastião Paulo de Assis, a cobrança é para que as empresas optem pela concessão das férias antecipadas, sejam elas coletivas ou individuais, regra já estabelecida na Medida Provisória (MP) 927, do governo federal.

A proposta orienta que as férias antecipadas precisam ser avisadas até 48 horas antes e não podem durar menos que cinco dias; podem ser concedidas mesmo que o período de referência ainda não tenha transcorrido e quem pertence ao grupo de risco do Coronavírus tem prioridade para o gozo de férias, entre outras determinações.

– Apesar da MP não determinar de fato o que deverá ser feito nessa crise, deixando a situação do trabalhador a critério do empregador, a aplicação das férias é a melhor solução para evitar as aglomerações. É preciso colocar o trabalhador em quarentena e evitar a disseminação da doença, conforme as orientações dos órgãos de saúde – ressaltou Sebastião Paulo.

A luta também dos sindicatos e centrais sindicais é para que o governo crie um fundo de emergência, para garantir um salário para desempregados e informais; incentive acordos coletivos que preservem a estabilidade dos salários e dos empregos durante a pandemia e crie opções para os setores que paralisaram suas atividades, com a contrapartida de manutenção do emprego, salário e direito, além de outras prioridades.

– Recursos o governo tem, mas até o momento só fez dar garantias às empresas. O que as categorias precisam é de propostas para pagar um salário justo (ajuda) aos trabalhadores neste período de crise e criar garantias de estabilidade dos empregos. Mais do que o lucro, o mais importante no momento é a vida dos trabalhadores. O governo quer dar saída para essa crise, aplicando reformas que expõem o trabalhador ao contágio no transporte coletivo, refeitórios das empresas, etc – alerta.

Além da preservação dos direitos, o sindicato também orienta as empresas sobre a necessidade de reforçarem os meios de prevenção da doença, disponibilizando aos trabalhadores que não foram dispensados, locais com água, sabão, álcool em gel e máscara. E também meios para a higienização dos instrumentos de trabalho.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *