Estudantes da rede pública de Volta Redonda retornam às aulas remotas em nova plataforma
23 de fevereiro de 2021
“Projeto Mais Música” é mais uma opção de lazer no mês de março
23 de fevereiro de 2021

Procon de Volta Redonda alerta para ‘golpe do motoboy’ após receber denúncias de consumidores

Órgão registrou 17 queixas nos últimos 30 dias. Prática consiste em coletar cartões sob a justificativa de que foi clonado ou que há compras suspeitas

O Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de Volta Redonda tem recebido denúncias de consumidores sobre o “golpe do motoboy”. Somente nos últimos 30 dias, foram 17. Para alertar sobre a prática criminosa, o coordenador do órgão, o advogado João Silveira Neto, tem orientado a população como agir.

O crime consiste no golpista se passar por um funcionário de um banco ou administradora de cartões para convencer a vítima a entregar seu cartão para cancelamento, sob a justificativa de que foi clonado ou que há compras suspeitas. Para isso, um dos bandidos se passa por motoboy e vai até a casa da vítima buscar o cartão supostamente clonado.

De acordo com Silveira Neto, muitas vezes, o golpista informa dados verdadeiros da vítima para passar credibilidade e pede que ela corte o cartão ao meio (preservando o chip) e o entregue junto com a senha ao motoboy; para que o cancelamento seja efetivado. Com isso e os dados das vítimas, os criminosos conseguem realizar compras e efetuar saques.

“Esse motoboy, que normalmente é integrante da quadrilha, entrega um recibo, às vezes não, e fala: ‘Para cancelar tem que dar a senha’ e ao fornecê-la a pessoa acaba sendo vítima”, detalhou.

*Prevenção*
Para se prevenir, o coordenador do Procon orientou que as pessoas desconfiem caso recebam ligações deste tipo e não informem a senha, em hipótese alguma.

“Jamais dê a senha. Com ela, o falsário consegue fazer o que quiser: compra, empréstimo. Então a melhor maneira de se prevenir é não informando a senha”, disse, completando: “Se a pessoa receber uma ligação do banco, entre em contato com o número que ela tem da agência. De preferência, ligue para o número do telefone que está no verso do cartão, ou então se tem um relacionamento com o banco, ligue para o gerente”, orientou Silveira Neto.

*Caso de polícia*
Como a prática configura crime de estelionato, caso o consumidor seja vítima deve procurar a Polícia Civil.

*Fotos: Geraldo Gonçalves – Secom PMVR*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *