PRF prende motorista por embriaguez ao volante na Dutra (BM)
31 de janeiro de 2019
Volta Redonda ganhará Estação de Tratamento de Esgoto no bairro Três Poços
31 de janeiro de 2019

Rodrigo Furtado visita Gaema e busca apoio para redução de escória da CSN

O vereador coordena as ações de fiscalização desde junho de 2018; resultados positivos já foram contabilizados no período

O vereador Rodrigo Furtado (PTC) esteve na tarde desta quinta-feira (31) na sede do Gaema (Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente), no Rio de Janeiro, para buscar apoio na fiscalização do cumprimento da liminar que determinou a redução do nível de escória oriunda da CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) e armazenada no pátio do bairro Brasilândia, gerido pela Harsco Metals. Durante a conversa, com o promotor Plínio Araújo, o parlamentar obteve informações importantes para o andamento das ações.

Rodrigo é presidente da Comissão Especial, criada pela Câmara Municipal, com o intuito de apurar as possíveis irregularidades na estocagem do material e amparar, na qualidade de amicus curiae (amigo da corte), o trabalho desenvolvido pelo órgãos fiscalizadores.

– Estamos buscando apoio para dar uma pronta resposta à população. Não podemos esperar que aconteça uma tragédia em nossa cidade. É preciso planejar soluções para que a situação não se agrave. Temos exemplos tristes das consequências de ações omissas e irresponsáveis. Os interesses privados não podem ser mais importantes que a qualidade de vida e a segurança dos voltarredondenses – frisou, o vereador.

O parlamentar também se reuniu com o deputado estadual Gláucio Julianelli (PSB), que integrou por quatro anos a Comissão Ambiente da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) e militou pela questão ambiental no Sul Fluminense. Em julho do ano passado, o deputado participou de uma vistoria no pátio do Brasilândia, acompanhado dos demais membros do grupo, do próprio vereador e de técnicos do Inea (Instituto Estadual do Ambiente).

Rodrigo contabilizou os resultados positivos até o momento, citando o TAC (Termo de Ajuste de Conduta) de R$ 300 milhões assinado pela CSN como principal conquista, desde o início das ações, mas confessou que a luta é árdua e que ainda há muito trabalho pela frente.

– Permanecemos preocupados com a questão ambiental e com as consequências negativas geradas aos moradores, sobretudo dos bairros mais próximos. Vamos continuar trabalhando para que em breve possamos contabilizar ainda mais resultados positivos. Precisamos incentivar a cultura do desenvolvimento sustentável. É uma necessidade urgente, que será determinante para a preservação do meio ambiente durante os próximos anos – ressaltou.

1 Comentário

  1. Aqui é a Fernanda parabéns pelo conteúdo do seu site gostei muito deste artigo, tem muita qualidade vou acompanhar o seus artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *