Ação conjunta da prefeitura de VR coíbe ocupação irregular no bairro Três Poços
31 de julho de 2019
VR destaca importância do aleitamento materno em Semana Mundial da Amamentação
31 de julho de 2019

Profissionais da saúde recebem certificado de educação em saúde popular

Vinte e cinco profissionais da saúde foram certificados, nessa quarta-feira, dia 31, no curso de Aperfeiçoamento e Educação Popular em Saúde. O curso é uma iniciativa do Ministério da Saúde em parceria com a Escola Politécnica em Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz com apoio da prefeitura de Volta Redonda. O objetivo é de contribuir com a implantação da Política Nacional de Educação Popular que trabalha o resgate das culturas tradicionais e que envolve a parte social do individuo.

O curso, ministrado pelas enfermeiras e educadoras populares Beatriz Campos (Volta Redonda) e Luana Lima (Piraí), foi aplicado para os agentes comunitários de saúde, de controle de endemias e movimentos sociais, entre outras representações de grupos organizados da sociedade de Volta Redonda e cidades da região Sul Fluminense.

O prefeito Samuca Silva destacou a importância da capacitação. “É uma forma de melhorar e humanizar o atendimento de saúde e trazer a comunidade para perto, para participar do processo de construção democrático da saúde”, pontuou.

O secretário de Saúde, Alfredo Peixoto, reforça que a intenção do poder público é fortalecer a atenção básica. “Por trabalhar direto com a comunidade esses profissionais podem melhorar o atendimento que vão prestar durante o seu trabalho, oferecendo um serviço de qualidade ao usuário”, avaliou.

De acordo com a enfermeira e educadora popular, Beatriz de Souza Campos, da Unidade Básica de Saúde da Família do bairro Padre Josimo, entre os temas discutidos durantes o curso estão: Política publica de Saúde, a importância da participação popular, principalmente em espaços onde a população tem voz, promoção da cultura da paz, resgate de história de bairros de Volta Redonda, entre outros.

“Esse curso envolve as experiências de vida das pessoas, o aprender construindo juntos, valorizando as diferentes culturas e saberes. O objetivo é de valorizar as culturas populares e as histórias dos pacientes e da comunidade e transformar isso em cuidado de saúde. Com isso passamos a ver os pacientes com outro olhar, pois enxergamos uma história por trás dele. Assim podemos construir juntos uma proposta terapêutica”, disse a educadora.

Para Nídia Ferreira, que estava recebendo o certificado de conclusão do curso destaca que principal objetivo é o diálogo com a comunidade. “O curso coloca por terra todo preconceito que você tiver. Ele te faz somar, cada vez mais, com a diversidade que o povo Brasileiro tem. Com isso podemos fazer uma saúde melhor para a população de Volta Redonda”, concluiu.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *