PRF localiza galpão usado para desmanche de veículos na Baixada Fluminense
14 de março de 2019
Carro cai em ribanceira na Dutra, em Porto Real
14 de março de 2019

Anunciado novo bispo para a diocese de Barra do Piraí- Volta Redonda

Bispo de Barra do Piraí e Volta Redonda

Na manhã desta quarta-feira, dia 13, o Vaticano anunciou o nome do novo bispo que irá conduzir a diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda. Trata-se de dom Luiz Henrique da Silva Brito, atualmente bispo auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro.

O comunicado oficial na região foi feito por dom Francisco Biasin numa reunião com os padres e funcionários da mitra diocesana e por meio dos veículos de comunicação da diocese. Nos próximos meses, dom Francisco continuará na diocese como administrador apostólico, auxiliando na transição até que o novo bispo assuma. A posse está marcada para o dia 11/05, às 9h, na Igreja Nossa Senhora da Conceição no Conforto, em Volta Redonda.

Entenda como funciona a troca de bispos

Em setembro de 2018, dom Francisco Biasin completou 75 anos, idade limite estipulada pela Igreja Católica para a renúncia de um bispo (aposentadoria). Ao completar a idade, o então bispo enviou uma carta ao Papa Francisco que acolheu o pedido de renúncia nos meses seguintes e a nomeação do novo bispo foi anunciada nesta quarta-feira.

“Ele vem com muita alegria e muito gás, é um bispo jovem e dará a sua contribuição para que a diocese continue a sua caminhada na história de acordo com os apelos de Deus e de acordo também com a caminhada que até agora a diocese tem feito. Cabe a mim expressar agradecimento a Deus por esses quase oito anos que passei aqui no meio do povo de Deus dessa querida diocese…e vou ficar por aqui. Continuarei a dar minha presença, rezar e acolher as pessoas, respeitando o governo pastoral do novo bispo. A caminhada continua, somando os esforços e dons que cada um recebeu de Deus para serviço do povo Dele”, disse dom Francisco Biasin.

Conheça o novo bispo

Filho do casal João de Brito e Narly da Silva Brito, Dom Luiz Henrique da Silva Brito nasceu em São Gonçalo, RJ, em 19 de maio de 1967. Cursou teologia e filosofia no Seminário de São José, no Rio de Janeiro, como seminarista da diocese de Campos. No seminário, foi prefeito de disciplina. Foi ordenado padre por Dom João Corso na Catedral Diocesana Santíssimo Salvador, em Campos dos Goytacazes, em 1991. Antes de ser nomeado bispo auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Luiz Henrique foi pároco em três paróquias de Campos. Depois da formação no Rio de Janeiro em teologia pelo Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese e em Direito Canônico pelo Instituto Superior de Direito Canônico, concluiu em 2005 o mestrado em Roma.

Ao retornar à sua diocese de origem assumiu ainda mais duas paróquias. Foi nomeado bispo titular de Zallata e auxiliar do Rio de Janeiro em 29 de fevereiro de 2012 e ordenado bispo em 12 de maio de 2012.

Em carta enviada a diocese, o novo bispo destaca a alegria em ser nomeado para a diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda, que tem uma ligação histórica com a diocese onde foi gerado no ministério presbiteral, Campos dos Goytacazes, pois as duas foram erigidas no dia 4 de dezembro de 1922. “Sinto-me honrado e, ao mesmo tempo, pequeno diante de uma história tão rica nesta diocese onde passaram grandes bispos que foram pastores corajosos e magníficos servidores do Evangelho. Cada bispo pela graça de estado que é investido, no contexto próprio de seu pastoreio é aquele que imprime um direcionamento, no discernimento de pastor, necessário para o momento histórico em que vive. Peço a Deus que, através do seu Santo Espírito, eu possa discernir bem o momento eclesial que se vislumbra para que consiga corresponder aos anseios e necessidades pastorais, sociais e espirituais do conjunto dos fiéis, não limitado a ideologias ou posicionamentos estreitos de qualquer vertente que impedem o crescimento do Reino de Deus, mas tendo capacidade da escuta de forma a corresponder aos desafios e urgências da evangelização”, disse em um trecho da carta que pode ser conferida na íntegra abaixo.

Atuação como bispo auxiliar do Rio de Janeiro

Dom Luiz Henrique atuou como bispo animador do Vicariato Norte, dos vicariatos episcopais para a Caridade Social e para a Comunicação Social e da Coordenação Arquidiocesana de Pastoral. Foi responsável pelos Círculos Bíblicos, pelas Comunidades Eclesiais de Base e pela Rádio Catedral, além de diretor das Escolas de Fé e Catequese Mater Eclesiae e Luz e Vida.

Atualmente, ele é moderador da Cúria Metropolitana, Bispo Referencial do Vicariato Episcopal Urbano, da Pastoral Presbiteral, das Ordens Terceiras, Irmandades e Confrarias, do Economato, do Departamento Jurídico e da Administração dos Bens Temporais da Arquidiocese. É presidente da Comissão de Recuperação de Patrimônios, membro da Comissão Arquidiocesana de Aquisição de Terrenos e Evangelização, professor do seminário arquidiocesano de São José e bispo referencial dos Presbíteros e do Diaconato Permanente do Regional Leste 1 da CNBB.

Leia na íntegra a carta de saudação do novo bispo:

MENSAGEM  AOS FIÉIS LEIGOS, SACERDOTES, RELIGIOSOS, RELIGIOSAS E SEMINARISTAS

Rio de Janeiro, 13 de março de 2019

Neste dia em que se torna pública minha nomeação como 8º bispo diocesano de Barra do Piraí-Volta Redonda quero dirigir-me primeiramente ao já amado povo de Deus da Diocese a quem sou chamado a servir (os fiéis leigos e leigas) assumindo o propósito de ser uma presença o mais fiel possível do Pastor dos pastores Nosso Senhor Jesus Cristo.

Minha saudação fraterna aos bispos  Dom Francisco Biasin e Dom João Messi que se dedicaram por longos anos a essa amada Igreja Particular.

Minha saudação especial aos preciosos e necessários colaboradores do ministério episcopal que são os presbíteros  no serviço dedicado e fiel que realizam, como também os caros diáconos permanentes que com suas famílias não medem esforços no trabalho evangelizador e caritativo.

Não poderia deixar de saudar, com grande afeto, aos queridos seminaristas,  esperança e alegria de uma Igreja que se renova e busca discernir os sinais dos tempos para uma melhor eficácia evangelizadora e missionária.

Minha saudação especial a todos os religiosos e religiosas que enriquecem nossa diocese com seus específicos carismas.

Sou muito grato ao Santo Padre o Papa Francisco por confiar à minha fragilidade o cuidado desta Igreja Particular. Tendo me dedicado por quase 7 anos à Arquidiocese do Rio de Janeiro, quero agradecer especialmente Sua Em.cia Rev.ma Cardeal Dom Orani João Tempesta,  que me acolheu com muito carinho e me ajudou nos primeiros passos no ministério episcopal. Caro Dom Orani, meu respeito e comunhão. Nossos laços continuarão estreitos não só por ser o bispo ordenante principal  para o episcopado, como também por ser o metropolita desta querida província eclesiástica do Rio de Janeiro a qual continuarei a servir como bispo de Barra do Piraí- Volta Redonda. Conforta-me o fato de poder manter esta proximidade consigo e suas orientações sempre prudentes e oportunas. Minha alegria é grande por continuar neste Regional do Leste 1 próximo de tantos bispos amigos e solidários na missão.

Não posso deixar de mencionar os queridos irmãos bispos auxiliares. Saibam que sentirei falta desse companheirismo, fraternidade e apoio em todos os momentos e espero continuar contando com suas orações e amizade.

Ao longo deste período riquíssimo de experiência na Arquidiocese do Rio de Janeiro pude contemplar a grande riqueza desta que é uma das mais antigas Igrejas Particulares do Brasil, com seus dedicados sacerdotes e fiéis generosos e compreensivos. Quero agradecer muito a paciência e compreensão de todos, especialmente os colaboradores leigos no Edifício João Paulo II e, mais particularmente, os funcionários da Cúria Arquidiocesana por serem eficientes, discretos e empenhados no amor e serviço a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Ao Vicariato Urbano onde estou, no momento, colaborando como bispo referencial, agradeço o apoio de seu Vigário Episcopal Pe. Wagner Toledo, extensivo aos sacerdotes e fiéis, por esse tempo em que pude estar ao lado de vocês enfrentando os desafios da missão.

No entanto é chegada a hora de acolher a convocação  que o Senhor me faz através do chamado do Santo Padre para pastorear a Diocese de Barra do Piraí- Volta Redonda. Esta diocese tem uma ligação histórica com a diocese onde fui gerado no ministério presbiteral  – Campos dos Goytacazes – pois as duas foram erigidas no dia 4 de dezembro de 1922 com a mesma bula pontifícia Ad Supremum Apostolicae Sedis, do Papa Pio XI, portanto, pode-se dizer que são irmãs gêmeas, apesar das distintas realidades geográficas, históricas e eclesiais. Sinto-me honrado e, ao mesmo tempo, pequeno diante de uma história tão rica nesta diocese onde passaram grandes bispos que foram pastores corajosos e magníficos servidores do Evangelho.

Cada bispo pela graça de estado que é investido, no contexto próprio de seu pastoreio é aquele que imprime um direcionamento, no discernimento de pastor, necessário para o momento histórico em que vive. Peço a Deus que, através do seu Santo Espírito, eu possa discernir bem o momento eclesial que se vislumbra para que consiga corresponder aos anseios e necessidades pastorais, sociais e espirituais do conjunto dos fiéis, não limitado a ideologias ou posicionamentos estreitos de qualquer vertente que impedem o crescimento do Reino de Deus, mas tendo capacidade da escuta de forma a  corresponder aos desafios e urgências da evangelização. Como recorda a Exortação Apost. Pastores Gregis sobre a evangelização da cultura deve-se estar atento à “capacidade intrínseca em cada cultura, modelá-la e promovê-la, purificando-a e abrindo-a à plenitude da verdade e de vida que se realizou em Cristo Jesus”. Desta forma quero ser esta presença que consiga animar e motivar todas as forças vivas da diocese (pastorais, movimentos, espiritualidades) a serem fermento na sociedade por um mundo mais fraterno em que a mensagem do evangelho penetre verdadeiramente nos corações, transformando vidas no autêntico discipulado de Cristo.

Proponho-me a iniciar um pastoreio conforme, nos exortam os documentos do Magistério, de que o bispo governa com o coração do servo humilde e do pastor afetuoso, que guia o seu rebanho procurando a glória de Deus e a salvação das almas (cf. PG 43). Da mesma forma a Exort. Apost. “Pastores Gregis” fala do estilo pastoral de governo cada vez mais aberto à colaboração de todos e à comunhão diocesana. Para isso pretendo exercitar-me na escuta para melhor servir a todos de forma que possa contribuir para eficácia da unidade eclesial na diversidade, procurando favorecer a sinergia entre os diversos agentes com objetivo de percorrermos juntos o caminho comum da fé e missão (cf. PG 44). Quero esforçar-me para suscitar cada vez mais estruturas de comunhão e participação. Isso implica  consciência de que  o ministério episcopal comporta claro e inequívoco direito-dever de governo para avaliar, zelar e acompanhar todas as coisas de forma que que os crentes sintam-se verdadeiramente cuidados e protegidos de qualquer doutrina estranha e alheia ao depósito da fé.

Concluo estas breves reflexões reafirmando meu compromisso em ser um dedicado servidor do Evangelho para vocês e, estando desde já, toda a diocese nas minhas orações peço a caridade de rezarem por mim.

Confiando meu ministério episcopal e a nova missão a Bem Aventurada Maria, Mãe da Igreja e a Senhora Santana, padroeira desta querida diocese de Barra do Piraí-Volta Redonda pedimos a intercessão dessas grande mulheres de Deus cujos exemplos de fidelidade e obediência a Deus sempre nos motivam no discipulado de Nosso Senhor Jesus Cristo. Amém!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *