Volta Redonda irá sediar 1º Seminário de Bibliotecas do Sul Fluminense
18 de março de 2019
Prefeitura trabalha para minimizar efeitos do temporal em Volta Redonda
18 de março de 2019

Projeto “Energia, de onde vem?” Leva alunos da rede municipal até Furnas

Todas as turmas do 9º ano do Ensino Fundamental da rede vão ter a oportunidade de visitar a Usina Hidrelétrica de Funil

Por meio do projeto “Energia, de onde vem?”, alunos de todas as turmas do 9º ano do Ensino Fundamental da rede pública municipal de Resende poderão visitar a Usina Hidrelétrica de Funil, que faz parte do complexo de Furnas. A usina tem sua estrutura localizada nos municípios de Resende e Itatiaia. O projeto foi desenvolvido pela Prefeitura de Resende, por intermédio da Coordenação de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Educação. Desde o final do ano passado, a iniciativa vem sendo implantada, visando proporcionar um trabalho interdisciplinar aos estudantes. Nesta quinta-feira, dia 21, será a vez dos alunos da Escola Municipal Professor Carlinhos, situada no bairro Fazenda da Barra III, serem levados até a sede da usina em Itatiaia.

Em outubro e novembro de 2018, quatro turmas da Escola Municipal Noel de Carvalho, na Nova Liberdade, e uma do CIEP Brizolão 489 – Augusto de Carvalho, no bairro Cidade Alegria, foram contempladas pelo projeto. Na época, foram atendidos 117 alunos. Este ano, a primeira unidade a ser beneficiada foi a E. M. Júlio Verne, na Vicentina, na última quarta-feira, dia 13, com o total de 22 adolescentes.

A visitação ocorre semanalmente, sendo limitada com uma turma por vez. De acordo com a coordenadora de Educação Ambiental, Andréa Gonçalves Costa, o tema energia está inserido na grade curricular, a partir da disciplina de Ciências da Natureza. Ela explicou que a visita é uma forma dinâmica de ensinar o conteúdo, propiciando informações sobre o consumo consciente de água e energia e sustentabilidade.

— Os 567 alunos das turmas do 9º ano de 12 escolas municipais da zona urbana e do campo, matriculados nos períodos da manhã e da tarde, vão ter a chance de conhecer como funciona a usina. Os nossos estudantes vão aprender sobre o grande potencial hidrelétrico da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul, os impactos causados desde a sua construção e as medidas adotadas para amenizar os problemas ambientais, além de projetos sociais. Um guia da empresa Furnas, que trabalha há aproximadamente 15 anos na região, acompanha a visita, fornecendo dados que fazem toda a diferença na aprendizagem dos alunos. Desta forma, os adolescentes passam a vivenciar o tema, desenvolvendo pensamentos voltados para pesquisa que resultam na formação de senso crítico – destacou a coordenadora, lembrando que são cerca de duas horas e meia de visita, tendo início normalmente às 8h30.

Ainda segundo ela, a Usina de Funil apresenta uma arquitetura diferente das demais usinas de Furnas: com uma barragem do tipo abóbada de concreto, com dupla curvatura, única no Brasil. A usina foi construída no Rio Paraíba do Sul, no local conhecido como “Salto do Funil”, em Resende, e passou a operar em 1969. A sua capacidade total é de 216 MW. A empresa Furnas conta com 21 usinas hidrelétricas, duas termelétricas, 82 subestações e mais 28 mil quilômetros de linhas de transmissão.

O cronograma da Coordenação de Educação Ambiental prevê visitação até setembro deste ano. Além das instituições educacionais Júlio Verne e Professor Carlinhos, confira as demais unidades envolvidas no projeto: os CIEPs Brizolão 489 – Augusto de Carvalho (Cidade Alegria) e 342 – Geraldo da Cunha Rodrigues (São Caetano); as Escolas Municipais Jardim das Acácias (Fazenda da Barra II), Professor Oswaldo da Rocha Camões (Alambari), Surubi (Surubi), Hetelvina Carneiro (Vargem Grande), Moacir Coelho da Silveira (Serrinha), Noel de Carvalho (Nova Liberdade), de Educação Bilíngue Rompendo o Silêncio (Vila Julieta-Alvorada); e Colégio Municipal Getúlio Vargas (Cidade Alegria).

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *