Colisão envolve carro e carreta na Dutra
26 de dezembro de 2017
Clubes sociais vão pagar alíquota diferenciada de ISS em VR
26 de dezembro de 2017

Casa de Pedra: um bairro de gente amiga e hospitaleira

Aposentados da CSN escolheram o bairro como prioridade para morar, onde viver é mais sossegado

O bairro Casa de Pedra fica perto de Siderópolis, Jardim Esperança, Jardim Tiradentes, Sessenta, Vila Rica e tem uma característica muito própria do bairro: é praticamente quase todo residencial, com um comércio representado apenas por uma padaria e uma casa agropecuária, ambas com o mesmo nome do bairro. Outros pequenos empreendimentos como salão de beleza, disk entrega de lanches, sorveteria, são dispersos. A principal rua do bairro é a 750, onde passa o transporte coletivo. Muitos ex-metalúrgicos aposentados moram no Casa de Pedra, mas o bairro tem ficado mais jovem, com a nova geração.

Quem nos conta a história do Casa de Pedra é o ex-metalúrgico Vicente Anastácio da Costa, de 84 anos, que aposentou em 1985 quando a CSN ainda era uma empresa estatal. Nada melhor que um antigo morador para contar a história do local onde mora e admira. Ele é mineiro, natural de Viçosa, e chegou a Volta Redonda em 1952. Com 17 anos de idade foi trabalhar em uma empreiteira, prestadora de serviços na Usina Presidente Getúlio Vargas. Depois entrou para a estatal no Departamento de Obras e Construções, trabalhando na descarga de cimento, no britador de pedras, no porto de areia, e na aciaria velha e aciaria nova:

“No início tinha aqui apenas uma casa que a gente vinha dançar e se divertir. Era tudo mato e brejo. Usávamos taboa (uma espécie de vegetação que dá em áreas alagadas) para fazer esteira. A estradinha de chegada era para carro de boi passar. Eu vinha muitas vezes de charrete para tomar banho num lago na época do calor. O bairro começou a existir de fato foi com a visita do presidente Goulart a Volta Redonda”, contou.

Vicente da Costa relatou mais detalhes da presença do presidente da República na cidade, que se emancipou em julho de 1954 e elegeu o primeiro prefeito por voto direto. “O prefeito Sávio Gama trouxe o presidente João Goulart que colocou uma pedra fundamental perto da mata da Cicuta para a construção do bairro Siderópolis, primeiro, e Casa de Pedra depois. O projeto era construir até Três Poços e Pinheiral, casas para os trabalhadores. Ele falou que seriam bairros residenciais. E foi o que aconteceu, as casas foram construídas para os operários”, explicou.

O metalúrgico, antes de mudar para o bairro Casa de Pedra, morava no acampamento central da CSN, que foi construído no bairro Laranjal, quando a empresa chegou a ter 33 mil funcionários trabalhando na Usina. “O nosso bairro é bom, não tem bagunça e tem muita gente antiga para conversar. As pessoas respeitam a casa da gente e temos excelente segurança”, diz o antigo morador.

Na Rua 715, estão localizados o Colégio Estadual Prefeito Francisco Fontes Torres, a Praça e Área de Lazer Padre José de Anchieta, a quadra poliesportiva coberta José da Silva (Zé Baixinho), as sedes da Amacap (Associação de Moradores Casa de Pedra), o Centro Espírita Eurípedes Barsanulfho, a Loja Maçônica Mista Delta do Nilo, e o Núcleo de Ação Comunitária(NAC) – que organiza a Feira da Primavera, festa anual que arrecada recursos para as entidades filantrópicas.

No início do bairro, a Praça Oscar Cardoso, que tem brinquedos para as crianças, uma área de 550 metros para Cooper, um anfiteatro, um chafariz de 126 bicos que lança jatos de água a 5 metros de altura e faz a alegria de crianças e adultos no verão de mais de 31 graus.

Investimentos no bairro

No cruzamento das ruas 719 com a 750, a administração municipal fez a retomada da construção da ponte Henrique Pereira Cunha, que segundo moradores, a obra ficou parada e a ponte interditada por um ano e meio. A obra foi retomada do zero em agosto deste ano pela nova gestão municipal e o término previsto para janeiro de 2018.

O investimento com recursos próprios do município é de R$ 538.629.22 para concluir a travessia do córrego Cafuá que passa sob a via. “Com a inauguração vamos ter um acesso mais rápido ao hospital do outro lado e vai facilitar para quem quiser entrar no bairro”, disse a gerente da casa agropecuária, Sandra Regina de Oliveira, que nasceu e vive no bairro.

“É um investimento necessário. Os moradores ficaram muito tempo sem essa travessia que é importante para a comunidade. Estamos em obras em diversos pontos da cidade, com o objetivo de melhorar a vida dos moradores e, dessa forma, melhorar a qualidade de vida e propiciar melhorias no setor econômico”, comentou o prefeito Samuca Silva.

Outra moradora, Maria José dos Santos, de 47 anos, define o bairro Casa de Pedra: “É um bairro calmo e maravilhoso. Temos constante policiamento e ronda da Guarda Municipal. A entrega da ponte vai melhorar ainda mais para os clientes e moradores do bairro”, afirma Maria José.

Compartilhe

1 Comentário

  1. Diogo Rogério da Fonseca disse:

    Bom dia!
    Sobre o bairro casa de pedra, há algumas inverdades como:
    A praça já não funciona o chafariz, o colégio é na rua 750 e não 715 como foi dito.
    A principal rua onde se passa o coletivo é 758 e não 750, citado.
    E segurança constante da PM e GM, como disse essa Sra. Maria José, acho que ela mora em outro bairro e não na casa de pedra. Pois não temos constantes rondas policiais no bairro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *