Polícia Militar apreende armas e artefato militar em Valença
24 de janeiro de 2019
Prefeitura de Volta Redonda realiza processo seletivo neste domingo, dia 27
24 de janeiro de 2019

Profissionais da Saúde passam por capacitação sobre dengue, zika e chikungunya

Médicos e enfermeiros da atenção básica recebem informações atualizadas sobre o diagnóstico e tratamento dessas arboviroses

A secretaria de Saúde de Volta Redonda iniciou nesta semana a capacitação “Atualização no Manejo Clínico das Arbovirores”, doenças transmitidas por insetos. O treinamento é voltado para médicos e enfermeiros da Atenção Básica e vai abordar o diagnóstico e tratamento da dengue, zika, e chikungunya, três doenças transmitidas pelo aedes aegipyt.

A capacitação será realizada em quatro dias para grupos diferentes de profissionais. A primeira turma recebeu o treinamento nesta quarta-feira, dia 23, no Auditório da secretaria municipal de Saúde; e o segundo grupo assistiu à palestra no Auditório da Prefeitura de Volta Redonda, nesta quinta-feira, dia 24. As próximas datas são 30 e 31 de janeiro, quarta e quinta-feira que vem, sempre no período da tarde, no Auditório da Secretaria de Saúde, no Aterrado.

A atualização nesta quinta-feira, dia 24, foi ministrada pela coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde de Volta Redonda, Milene Paula de Souza, e pelo médico veterinário Raphael Andrade de Castro, que atua como sanitarista no Departamento de Informação, Planejamento, Inovação e Qualidade da Secretaria de Saúde. “O perfil ambiental do vetor é o foco da minha palestra”, disse o sanitarista.

Além desses profissionais, também ministram palestra durante a atualização a médica pediatra Rosa Maria de Jesus Silva e o médico infectologista Eduardo Rafael Ulloa candanoza, ambos da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde.

De acordo com a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Milene Paula de Souza, o objetivo principal da capacitação é preparar os profissionais da Saúde para o atendimento adequado e ágil aos pacientes com sintomas da dengue, zika e chikungunya.

“Na capacitação serão atualizados os protocolos de manejo clínico estabelecidos pelo Ministério da Saúde no caso de suspeita de dengue, zika e chikungunya. Além disso, passo para os profissionais o cenário das notificações em nosso município”, explicou.

O secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, lembra que o verão é um período de maior número de registros de casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya. “É importante que os profissionais sejam orientados sobre como proceder no diagnóstico, tratamento e acompanhamento do paciente. Temos que estar preparados para saber identificar os sintomas e garantir pronto atendimento”, disse.

Profissionais da Saúde passam por capacitação sobre dengue, zika e chikungunya

O prefeito do município, Samuca Silva, reafirma que a assistência à saúde é prioridade em sua gestão. “2019 será o ano da saúde em Volta Redonda”, afirmou Samuca, lembrando que no caso da dengue, zika e chikungunya, “com profissionais capacitados e assistência adequada podemos evitar que o quadro da doença evolua”, acredita.

Os médicos Leonardo Xisto, que há duas semanas está na Unidade Básica de Saúde da Família do bairro Três Poços; e Edgard Costa, da unidade Retiro II desde setembro do ano passado, aprovaram a iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde.

“É importante ficarmos atentos para não confundir os sintomas da dengue, zika e chikungunya com uma virose mais simples”, afirmou Leonardo Xisto. Já Edgard Costa disse: “qualquer oportunidade de adquirir conhecimento para atender melhor a população é válida”, acredita.

Cenário da dengue, chikungunya e zika no município

Em 2016, Volta Redonda teve 3.838 casos notificados de dengue, sendo 441 confirmados. No caso da chikungunya foram 28 notificações, sendo três confirmados. Já o zika rendeu 68 notificações em gestantes, grupo que faz o teste de comprovação. Houve 23 casos confirmados.

Em 2017, houve 293 casos suspeitos de dengue, sendo 22 confirmados. Quanto à chikungunya, 14 casos foram notificados e quatro foram confirmados. O zika gerou oito notificações, sendo que nenhuma delas confirmada.

No ano passado, o município notificou 274 casos suspeitos de dengue, sendo 66 confirmados. Os casos notificados de chikungunya somaram 22 durante o ano, mas apenas dois foram confirmados. O zika teve seis notificações, também sem nenhuma confirmação.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *